Cineclube de Fafe ‘obrigado’ a interromper actividade

Cineclube de Fafe ‘obrigado’ a interromper actividade
Em causa a falta de apoio da Câmara Municipal

O Cineclube de Fafe, presidido por João Artur Pinto, emitiu um comunicado onde explica os motivos que “obrigaram” esta associação a interromper a actividade. “Este constrangimento deve-se ao facto de até ao momento não existir o Protocolo de Cooperação com a autarquia, nem saber se irá existir e, a existir, em que moldes se processará”. Na nota enviada a imprensa, a direcção do Cineclube de Fafe destacou esta parceria que, nos últimos cinco anos, “permitiu que mais de 25 mil fafenses assistissem gratuitamente a sessões de muito e bom cinema, numa programação mais assente em filmes para a infância e a juventude, sessões seniores, em articulação com instituições de solidariedade, autarquias, infantários e demais estabelecimentos de ensino”, além de outras colaborações com instituições e eventos. Agora, sem forma de financiar a actividade, o Cineclube lamenta que tenha de suspender a sua actividade mas sublinha que “durante este interregno, têm sido inúmeras as instituições de solidariedade, Juntas de Freguesia, infantários e escolas a solicitar cinema”, aludindo à urgência da resolução deste problema. “Aguarda-se que o Senhor Vice- Presidente da Autarquia, Dr. Miguel Martins agende a reunião solicitada. O Cineclube de Fafe, instituição sem fins lucrativos e que completa, em Novembro próximo, 30 anos ao serviço da cultura fafense, pretende dar continuidade às suas iniciativas, vindo agora a público garantir que tudo fará para encontrar uma solução que possa proporcionar cinema para todos em Fafe”. Confrontada pelo Notícias de Fafe com esta tomada de posição do Cineclube, a autarquia respondeu através do Gabinete de Comunicação. “O cinema em Fafe não está, não esteve, nem estará em causa. O cineclube é uma instituição que não depende, nem pode depender unicamente da Câmara Municipal. Os moldes do protocolo estão efectivamente a ser revistos, unicamente porque a autarquia lançou o desafio ao cineclube para ter cinema mais regular em parceria com distribuidoras nacionais em Fafe. Ainda não obteve resposta do cineclube. Em momento algum foi recusado continuar a apoiar financeiramente a actividade cineclubista em Fafe, estando inclusive a sala Manoel de Oliveira à disposição do cineclube nos moldes dos últimos 5 anos”. Já no que diz respeito à audiência com o vereador da Cultura, Pompeu Miguel Martins, a edilidade explica que o pedido “entrou há 11 dias e aguarda marcação estando completamente dentro do calendário habitual das audiências que decorrem às quartas-feiras, sendo por isso, essa, uma falsa questão”.

Pub.

2019 ©NOTÍCIAS DE FAFE ® - Todos os direitos reservados